16 de Janeiro de 2013

Palácios e Hôtels. Estes últimos mais badalados em Paris do que os primeiros. Possuem hoje várias funções, muitas vezes associadas a um tempo em que o estado francês os adquiriu sem saber muito bem o que fazer com estes magníficos edifícios. A maior parte abrigam museus, o que permite manter a decoração interior, e a percepção de um modo de vida associado à rica nobreza ou à família real. Outros já foram e ainda são edifícios para a prática do poder público, o que normalmente dificulta visitas ao seu interior.

 

6 - Hôtel Carnavalet


(ver artigo aqui)

Provavelmente o mais pequeno desta lista, mas o mais magnífico de todos os palácios do Marais. É um museu, onde a decoração de interiores constitui o ponto forte. Mais forte até que o exterior, que não deixa de merecer uma visita. Pequenos e belos jardins, arcadas e esculturas fazem do Hôtel Carnavalet um recanto idílico.

Público-alvo: papa-museus

 

5 - Hôtel des Invalides


(ver artigo aqui e aqui)

Mais monumental do que belo. Funcionou quase sempre como um hospital militar, mas aos poucos tornou-se o local de referência para as honras pós-guerra. O ponto forte é o túmulo de Napoleão, que se encontra sob uma magnífica cúpula. Este extremo sul do enorme complexo arquitectónico é provavelmente o único com grande pujança decorativa. O resto vale pelos museus riquíssimos sobre a História bélica francesa.

Público-alvo: historiadores

 

4 - Palais Royal


(ver artigo aqui)

É um comprido edifício entalado numa zona densa de Paris, entre o Louvre e o Palais de la Bourse. Não é fácil perceber onde acaba até porque o jardim interior é enorme. Apesar das arcadas, todo o palácio é fechado, mantendo o jardim tranquilo e reservado. O Palais Royal é mais conhecido precisamente por uma praça interior com colunas de vários tamanhos riscadas, mas há muito mais...

Público-alvo: pais dedicados

 

3 - Hôtel-de-Ville


(ver artigo aqui)

É o eterno edifício da câmara municipal de Paris. Apesar de ser uma reconstrução do anterior devido a incêndio, perserva uma fachada tão monumental quanto bela. É um dos símbolos da cidade, e dizem que o interior, ainda que restrito, é fantástico também. Fácil acreditar nisso...

Público-alvo: fotografomaníacos

 

2 - Grand Palais/Petit Palais


(ver artigo aqui)

Não dava para separá-los. Um complementa o outro, e como conjunto, quase que mereciam o primeiro lugar tendo só em conta a sua arquitectura. O Grand Palais vale pelo seu enorme telhado em vidro que assenta num gigantesco salão sem o apoio de colunas! O Petit Palais vale pelo interior e a decoração dourada. Ambos abrigam museus.

Público-alvo: intelectuais

 

1 - Château de Versailles


(ver artigo aqui e aqui)

Se é preciso um comboio para visitar os jardins, o palácio em si precisa de dois dias para ser visitado, tendo em conta que ainda existem secções restritas. É provavelmente o maior palácio do mundo e segundo a Wikipedia, tem 2 153 janelas, 67 escadas,352 chaminés, 700 quartos, 1 250 lareiras. Isto chega.

Público-alvo: papa-museus

(fotos retiradas da web)

publicado por Nuno às 20:59

Estudantes do Institut Français d'Urbanisme
Procurar coisas:
 
Janeiro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

14
15
17
18
19

20
22
23
24
25
26

27
28
29
31


Temperaturas por estes lados:
Weather in Paris
blogs SAPO